Inscrições

Olá, estamos reformulando o sistema de inscrições, que logo retornará para melhor atendê-lo, por hora as inscrições devem ser feitas pela própria federação organizadora.
Aniversariantes do mês

01/06
Marcos Antonio Souto Maior Neto - PB
05/06
Henrique Soares - PE
11/06
Amanda Pedrosa - PE
12/06
Tavares - PE
12/06
Suzana Rios - BA
16/06
Maria F. Avelar - PE
19/06
Marlon Zanotelli - MA
21/06
Fred Didier - PE
23/06
Tatiana Nobrega Urquiza - PB
23/06
Sueli Braga - PE
24/06
Guilherme Kubo - SP
24/06
Maria L. Paiva - PE
28/06
Pedro Cordeiro - SP
30/06
Petrov Ferreira Baltar - PB
 

Imagem 1
Imagem 2
Imagem 3
Imagem 4


Notícias

Cavalos são terapeutas nas cidades
03/09/2018 - Fonte: Gauchz

Contato com o animal ajuda a recuperar a saúde e estimula o desenvolvimento de adultos e crianças

“O cachorro é o melhor amigo do homem porque o cavalo não cabe dentro de casa”. A frase, em tom de brincadeira, mostra o quão afável e simpático este animal de grande porte pode ser. Essas características o colocam como protagonista de um tratamento terapêutico e educacional a partir de técnicas de equitação e de práticas equestres: a equoterapia. A partir de normas estabelecidas pela Associação Nacional de Equoterapaia (Ande), o método é reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito).

A interação entre cavalos e seres humanos é incrível. Esses animais criam vínculos muito próximos – explica Luiz Antonio Scotti, médico veterinário do Jockey Club do Rio Grande do Sul.

A facilidade de se inter-relacionar estimula a autoconfiança, a socialização e a concentração, ajudando a construir vínculos afetivos fundamentais para a cura.

– O terapeuta realmente é o cavalo. A criança chega e pergunta pelo Dourado, Tonhão, Secreto e Sucrilhos (todos jovens e da raça crioula), não pelos profissionais.

Quem faz a cura é o animal – relata a psicóloga Silvia Scheffer, proprietária da Cavalo Amigo, empresa que há 20 anos atua na área.

A especialista conta que, a partir do contato com o equino, crianças que não caminhavam ou não se comunicavam em razão de alguma síndrome, começam a ter melhoras motoras e de fala.

Mas não é qualquer animal que pode atuar na terapia. São necessárias características especiais para a efetividade do tratamento (veja quadro). Um dos requisitos desejáveis é a passada larga, chamada de transpista, onde o cavalo coloca a pata traseira à frente da marca da dianteira ao caminhar. Segundo Silvia, esse tipo de passo estimula os pacientes, pois o animal se mexe mais durante o deslocamento:

– O movimento tridimensional é que faz a cura na terapia.


Cuidados com os equinos:


– Ser assistido por médico veterinário para manutenção da sua saúde
– Trabalhar em cima do esforço positivo, de forma a estimular a interação entre o equino e o homem
– Manter o bem-estar do animal, com foco dividido entre a terapia e o conforto do animal, para que se sinta bem com os humanos que trabalham com ele
– Respeitar a carga máxima que o cavalo consegue suportar, que equivale a 20% de seu peso

Características do animal:


– Ter boa índole
– Ser curioso
– Gostar da aproximação e da companhia pessoas
– Não ser muito sensível ao barulho
– Ter altura entre 1,4 metro a 1,6 metro
– Ter aprumos corretos
– Manter passada larga
– Ser castrado para não ocorrer interferência hormonal


Comente | Comentários desta Notícia (0)


Outras Notícias
federações FILIADAS

nossos PARCEIROS


mídias SOCIAIS




nosso ENDEREÇO

Circuito N-NE de Hipismo
Fone.:(81)3343-5970/(81)3343-4837 | hipismo@hipismonortenordeste.com.br

Av. Bernardo Vieira de Melo, 428 - Sala 204
Piedade - Jaboatão dos Guararapes - Recife-PE | CEP: 54.440-620