Inscrições

Olá, estamos reformulando o sistema de inscrições, que logo retornará para melhor atendê-lo, por hora as inscrições devem ser feitas pela própria federação organizadora.
Aniversariantes do mês

02/12
Jenniffer Figueiredo de Meira Lima - PB
06/12
Rosen Lima dos Santos - PB
11/12
- PB
12/12
- PB
17/12
Maria Tereza Sarmento - BA
21/12
- PB
29/12
Lucas Dantas Medeiros - PB
 

Imagem 1
Imagem 2
Imagem 3
Imagem 4


Notícias

Hipismo ganha cada vez mais praticantes em Pernambuco.
24/02/2012 - CHZS

Atividade física e contato com os animais. Estas são as principais vantagens enumeradas pelas pessoas que praticam o hipismo, esporte que vem ganhando cada vez mais força no Estado de Pernambuco.

Normalmente, a paixão pelo hipismo desperta cedo. Juliana Avelar, de apenas 10 anos, que o diga. “Comecei a praticar hipismo na escolinha do Centro Hípico Zona Sul, onde hoje é do meu pai, aos 8 anos de idade. Aí parei por conta do medo. Depois, eu voltei em 2008 e estou até agora”, conta a garota.

São várias as razões que levam crianças a praticar esse esporte. Alguns aspectos são bem relevantes. “É um esporte disciplinador, que faz a gente superar obstáculos, literalmente falando e também na prática. E faz com que nós tenhamos sempre humildade para superar nossas dificuldades”, afirma Gleidson Carvalho, de 35 anos.

Outro ponto importante no hipismo é a busca pela harmonia entre o cavaleiro ou a amazona e o cavalo. “É uma relação muito especial porque o cavalo é um ser vivo, que tem vontade própria, muitas vezes, mas não é o racional. É uma relação que exige uma confiança, uma troca. A gente precisa de um conjunto. Então, para saltar o obstáculo, cada cavalo é diferente. Como as pessoas são diferentes, eles também tem temperamentos diferentes. E é necessário tempo para que exista esse conjunto e ele se dê bem na pista”, explica a presidente da Federação Pernambucana de Hipismo, Ana Cláudia Pedrosa

E não deixa de ser um charme o fato de o hipismo ser um esporte misto. “É uma peculiaridade do hipismo que homens e mulheres competem entre si. Não existe a categoria de minimirim feminino e minimirim masculino como os demais esportes. Todos são iguais”, diz a presidente da federação.

Por tudo isso, dedicação, paciência e muito treino ajudam a crescer nesse esporte admirado e praticado por um grupo cada vez maior de pernambucanos.


Comente | Comentários desta Notícia (0)


Outras Notícias
federações FILIADAS

nossos PARCEIROS


mídias SOCIAIS




nosso ENDEREÇO

Circuito N-NE de Hipismo
Fone.:(81)3343-5970/(81)3343-4837 | hipismo@hipismonortenordeste.com.br

Av. Bernardo Vieira de Melo, 428 - Sala 204
Piedade - Jaboatão dos Guararapes - Recife-PE | CEP: 54.440-620